Arquivo do extinto blogue Esferovite- a vida em pedaços (13-08-2003/ 4-01-2006)

sábado, novembro 12, 2005

constatação

passei a manhã a ler as crónicas que a Adília Lopes escreveu para o Público há uns anos. descobri este material na internet e passei a manhã a lê-lo. a Adília Lopes, não sei se vai à missa, mas vai muito a igrejas. eu acho que ela entra nas igrejas para ver as pessoas a rezar. às vezes encosta-se aos pilares que seguram as abóbodas e diz poemas baixinho. é assim que eu imagino.

a Adília Lopes conhece muitas pessoas que eu conheço, anda por muitos lugares por onde eu ando. eu nunca vi a Adília Lopes, ou então não a reconheci. acho que ela é baixinha e tem passos curtos. eu vejo mal ao longe, sou míope. a Adília chama amigo a pessoas que eu conheço e gosto. anda pela Faculdade de Letras e por Lisboa. a Adília conhece Lisboa muito melhor do que eu. mas eu não moro lá.

a Adília também sabe muito mais do que eu de coisas como: o mundo, os versos, as doenças mentais. ela também sabe muito mais do que sobre outras coisas como: jogos de palavras, amigos, inimigos, pessoas parvas. a Adília entra nas igrejas e é mulher. como é mulher vê as coisas de uma maneira que eu não consigo ver, porque sou míope. às vezes penso que todos os homens são míopes, se comparados a uma mulher.

passei a manhã a ler a Adília Lopes. normalmente não repito tantas vezes o mesmo nome no mesmo texto. normalmente nem escrevo nenhum nome num texto. mas passei a manhã a ler a Adília e estou constipado. uma mistura assim de constipado e de renite alérgica. não sei se a Adília tem renite alérgica. se tivesse, já a teria encontrado nalgum poema. passei a manhã a ler Adília e acabaram-se-me os lenços de papel.

(os referidos textos estão em: http://www.arlindo-correia.com/180902.html )

3 comentários:

berta silva disse...

continuas a ser o meu escritor predilecto. adorei o texto, assom como adoro TODOS os textos que escreves. beijinhos

aware disse...

Para além das constipações,dos olhos congestionados,dos espirros e da miopia de vez em quando sinto saudades tuas.As melhoras *******

Luís disse...

Há muito quem se constipe com a leitura da Adília. Nesta época de gripes aviárias todo o cuidado é pouco. Fornece-te bem de lenços de papel ou doutras qualidades e, pelo sim pelo não, faz como ela...vai à igreja e benze-te muito, muito...quem sabe se na água benta está a vacina para todos os males do mundo?
Um grade abraço.