Arquivo do extinto blogue Esferovite- a vida em pedaços (13-08-2003/ 4-01-2006)

sábado, agosto 27, 2005

escuro

o meu lado escuro é onde arde breve o lume que te mereço, uma lua que se vai desfazendo em chuva, uma menina alemã que me pisca o olho pela noite. o meu lado escuro é andar de t-shirt mesmo quando faz frio, a exibir como são fortes os pelos do meu braço. o meu lado escuro é conseguir articular palavras ao teu ouvido, mesmo quando tu não ouves.

o meu lado escuro é um adeus que eu te disse, há alguns meses atrás. é uma pequena pedra que eu trazia no bolso e que me apeteceu mandar, em voo, por cima da relva do jardim. são violinos a ecoar, ao longe, mas tão dentro dos meus ouvidos. o meu lado escuro é esta manhã, fresca e alucinada, num copo vazio. um abraço que não existe e muitas outras palavras que desconheço.

o meu lado escuro, esta lua apagada agora pelo chão, fazendo-se fogo de cada vez que soletras o meu nome. a tua voz frágil e quebrável, os teus braços pequenos e aconchegantes. o meu lado escuro é toda a guerra que invento por fora, escondendo o que trago por dentro. a minha cara de mau, a minha língua de fora, a minha palavra feia. o meu lado escuro sou eu, do lado de dentro.

1 comentário:

are_you__real disse...

Luis, tão bom como os melhores! Adorei este texto! Talvez seja porque... não vale a pena dizer

Arquivo do blogue