Arquivo do extinto blogue Esferovite- a vida em pedaços (13-08-2003/ 4-01-2006)

sexta-feira, setembro 30, 2005

lenga lenga

não há quem a mereça, esta dor, esta dor de cabeça. rima previsível, prevista e apontada num caderno de memórias, pronto a ser publicado assim que morrer. noite em branco, ou melhor, noite em preto, os olhos quando se abrem no escuro não vêem nada. esta dor, esta dor de cabeça. dois pontos, parágrafo, que alguém vai começar a falar.

arrumado a um canto do quarto, um corpo, uma mão, alguém que entra, a porta aberta, dir-se-ia, alguém mas quem?, barulhos no corredor, sim, são seis, sete da manhã, o dia começa, ficar atento a ouvir os barulhos das casas vizinhas, alguém na casa-de-banho, alguém que se levanta da cama, água a correr, portas, chama o elevador, arrumado a um canto do quarto, a ler.

mas não estava mais ninguém em casa, chego a pensar que não estava mais ninguém no prédio inteiro. adormecer e então ser ainda pior, sonhos atrás de sonhos, preocupações, preocupações, sempre à espera de acordar. não há quem mereça, não, não há, esta dor, esta dor de cabeça. e depois contar as horas pelos dedos, as horas pelo rádio ligado na cabeceira, e a dor, e não, não há, não há quem mereça.

2 comentários:

n. disse...

noites longas de lenga lenga ;)

Ana disse...

Fz tempo q não nos encontramos pelo msn né?seu blog continua o memso... lindo... bjus