Arquivo do extinto blogue Esferovite- a vida em pedaços (13-08-2003/ 4-01-2006)

quinta-feira, fevereiro 10, 2005

pedras

quando encontro pedras no caminho, sento-me. é assim que se faz. quando encontro pedras no caminho, puxo de uma guitarra, toco uma melodia desafinada. sim, é isso. sorrio, com os olhos cheios de lágrimas, e espero que alguém dance, mesmo que longe, mesmo que eu não dê por nada. quando encontro pedras no caminho, mesmo no meio do caminho, sigo isto como um ritual. e depois talvez me meta no carro e vá até ao mar. ou talvez me sente na mesa de um café e sorria para pessoas como eu.

quando encontro pedras no caminho, mesmo no meio do caminho, sento-me e penso. sim, é isso que eu faço, mesmo quando não seja isso que eu devesse fazer. à minha frente, alguém puxa uma cadeira. eu olho, a fingir que não ligo. olhos duas, muitas vezes. quando encontro pedras no caminho, mesmo que seja a caminho de casa. porque em casa é onde dói. é onde dói ter nos bolsos as pedras que encontro no caminho. no escuro de uma sala de cinema, a vida pode parecer fantástica. mas cá fora, apetece-me chorar.

quando encontro pedras no caminho, sento-me. pego numa guitarra, ensaio uma melodia. quando encontro, e quando encontro o que devo fazer. mesmo que pudesse fazer outra coisa. é assim que se faz. quando encontro pedras no meio do caminho, mesmo no meio, faço por seguir como quem vai a algum lado. por dentro, tremo. por fora, vou a algum lado. talvez porque as pedras não me assustem. talvez porque o que seja realmente assustador é olhar em frente, para uma paisagem limpa, anunciando felicidade.

3 comentários:

are_you__real disse...

Mas como mesmo nas paisagens mais límpidas há pedras escondidsa pelo caminho, não há que ter medo!

Litostive disse...

Vim deixar beijinhos!! =) * * *
(Desisti de te roubar as Pedras. A tal imagem teima em não aparecer e a minha paciência foi plo mesmo caminho. Fica a intenção. Gostei. Gostei muito, como gosto sempre.)

Anónimo disse...

Luís:
Também eu já linkei o Esferovite na Rotação dos Tempos.
Um abraço
Luís
http://rotacaodostempos.blogs.sapo.pt